Dia 11: Ixtaspe – Urt

Altura de deixar as terras de Espanha e partir rumo a França.

São mais de 100 km, com a elevação máxima estimada de 350 m. Tudo a roçar a costa para se apanhar uma boa brisa.

Percurso:

GPSies - 11. CICLO EUROPA: Ixtaspe - Urz

Como Correu:
Claro que os azares de ontem deram lugar a cansaço hoje. Lá comecei a pedalar um pouco mais tarde do que o habitual. Percorri caminhos junto à costa espanhola, passei por umas quantas praias e custei a encontrar um supermercado ou mercearia para comprar o almoço. Devem andar escondidos. Disse ao Gps: “Gps, encontra um supermercado já!”, e o bicho obedeceu e encontrou um ao virar da esquina.
Mais obras, mais problemas a encontrar a rota. Ia muito descansadinho a pensar na rota quando, sem reparar entro em França. Não vi uma única placa a dizer França, uma única bandeira ou marco de fronteira. Ia muito descontraído a pedalar pelo passeio de uma ponte, quando vejo uma operação policial a meio da ponte. Carros brancos com simbolos azuis, iguais a tantos outros que já tinha visto em Espanha. Nisto um dos policias barra-me o caminho. Lá me disse qualquer coisa. Disse-lhe que não percebi. Começa a falar francês. Era um polícia francês. Queixou-se de eu ir a pedalar pelo passeio, desmontei. Pediu-me identificação e fez meia dúzia de perguntas. Cansado acabei por responder-lhe numa mistura de espanhol, português, francês e inglês. Perguntei se estava na fronteira e ele indica-me uma pedra de meio metro no meio da ponte onde, quem se aproximar o suficiente, pode ler: Espanha.
Depois foi a confusão da costa francesa com os inúmeros turistas e trânsito infernal. Imaginem Albufeira mas maior.
Com tanto para-arranca o Gps, que tinha iniciado com 15% de bateria, estava com problemas. Estava a gastar mais que a carregar. Tive que o desligar umas quantas vezes, e por isso perdi-me um bocado. Porém lá se aguentou nos 5%. Com tanto imprevisto acabei por fazer mais 15 km que o previsto.
Mas lá cheguei ao parque após uns kms junto a um rio, mais volumoso que o Deba. Esta zona era mais calma, com quase nenhum turista.
O camping D’Etche Zahar, que significa casa velha em basco, é uma quinta familiar adaptada. O staff foi bastante simpático e até me deixaram carregar o gps sem me cobrarem mais por isso. Também tive acesso à tarifa de cicloturista, ou seja um desconto de 2 euros e qualquer coisa. Com piscina e espaços para crianças parece o local ideal para uma família usar como base de exploração do território basco francês.
Choveu um pouco durante a noite, nada que afectasse a tenda e a bicicleta pois estavam debaixo de uma grande árvore.

One thought on “Dia 11: Ixtaspe – Urt

  1. Estou a gostar imenso de seguir a tua “viagem”🙂
    Imaginava que demora-se mais tempo.
    Uma ótima continuação🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s